Abin confirma conta em português sobre Estado Islâmico no Telegram

Equipes de inteligência que atuam próximas ao plano de segurança da Olimpíada no Rio de Janeiro confirmaram a abertura de uma conta em português em um aplicativo de mensagens, o Telegram, para a troca de informações sobre o grupo extremista Estado Islâmico (EI), afirmou nesta quinta-feira (16) a Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A abertura da versão em português do grupo “Nashir” foi revelada no dia 2 de junho por Rita Katz, diretora do grupo SITE Intel, com sede nos Estados Unidos e que monitora a ação de jihadistas na internet. Segundo a especialista, esta é a primeira vez em que é lançado um canal de comunicação sobre o grupo em português.

A Abin, no entanto, não deu detalhes sobre o eventual monitoramento dos usuários da conta no Telegram.

Segundo o SITE Intel, simpatizantes do EI divulgaram mensagens no aplicativo Telegram pedindo que pessoas que falam português se juntassem a uma “equipe de tradutores”.

“Entendemos que a abertura de uma conta pode ser a abertura de uma porta para que brasileiros sejam radicalizados”, disse uma fonte próxima ao assunto à agência de notícias Reuters.

A suspeita de autoridades é que a conta poderia ser usada para recrutar algum brasileiro para atuar em nome do grupo no país. A partir de 5 de agosto, o Rio de Janeiro vai sediar os Jogos Olímpicos e a cerimônia de abertura deve reunir cerca de 100 chefes de Estado.

“Não há risco (de ataque)”, afirmou à Reuters o superintendente regional da Abin no Rio de Janeiro, Frank Oliveira.

Não foi a primeira vez que a Abin revelou uma possível ameaça ao Brasil envolvendo o Estado Islâmico, grupo radical que tem realizado atentados e assumiu responsabilidade pelos ataques do ano passado em Paris, que deixaram 130 mortos. Em abril, a agência disse ter detectado a autenticidade de um perfil do Twitter em que o francês Maxime Hauchard, integrante do grupo, afirma que o Brasil seria o próximo alvo.

Plano de segurança
O secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, condenou a divulgação da informação sobre o grupo em português no Telegram, porque causaria um alarde desnecessário.

“Eu não recebi essa informação e se Abin falou que recebeu, ela que tem que esclarecer à população brasileira. Essas coisas a gente não fala, antecipa a possibilidade alguma coisa vir a acontecer”, afirmou Beltrame em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

O plano de segurança para a Olimpíada envolve cerca de 85 mil homens de diversas forças, incluindo 9 mil agentes da Força Nacional de Segurança para atuar nas arenas e instalações olímpicas, mas o Estado do Rio não está seguro de que terá à disposição todo o efetivo prometido da Força Nacional.

O governo do Rio espera receber em breve um sinal positivo para que militares das Força Armadas possam atuar no patrulhamento de vias expressas durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. A demanda feita pelo Estado é para que sejam liberados entre 2 mil e 3 mil militares.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.