Em 4 de setembro do ano passado, o empresário Jair da Silva, 47 anos, compartilhava em suas redes sociais uma reportagem informando a localização de dois corpos esquartejados, perto de sua propriedade em Lomba Grande, localidade de Novo Hamburgo. Quatro meses depois, em 8 de janeiro, teve seu nome anunciado como um dos empresários que teriam pago R$ 25 mil por um ritual satânico, em que dois irmãos teriam sido esquartejados, em troca de prosperidade nos negócios.

Para os delegados que investigam o caso, as postagens soam como deboche. O material acabou anexado ao inquérito.

acordo com o Jornal NH, o vereador Jair da Silva foi eleito suplente de vereador de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, pelo PT nas eleições de 2004 com 355 votos, e pelo PMDB em 2012, quando fez 100 votos.

Ele não chegou a assumir o mandato em nenhuma das duas oportunidades. Conhecido também como Jair do Porcos, ele atua na área de criação de suínos.

Além disso, Jair lida com venda de terrenos em espécie informal de imobiliária e também tem depósito de carros usados em seu sítio na Estrada Porto das Tranqueiras, em Lomba Grande.

É nas imediações da propriedade que foram encontrados, nos dias 4 e 8 de setembro, os corpos de crianças esquartejadas.

Jair da Silva é apontado pela Polícia Civil como uma das pessoas que encomendou o ritual satânico para atrair prosperidade, no qual crianças raptadas do exterior eram sacrificadas.

O sócio dele e comparsa de crime, Paulo Ademir Norbert da Silva, está foragido. Jair, o filho Andrei e mais duas pessoas já estão presas. Entre elas, o bruxo Silvio Fernandes Rodrigues.

Fonte: Papo TV