Aluno põe máscara e esfaqueia colega no pátio da escola

Adolescente sacou duas facas e partiu pra cima de colega que seria seu desafeto

Um adolescente foi apreendido com duas facas na Escola Municipal Irineu Marinho, em Marechal Hermes, Zona Norte do Rio, na noite desta terça-feira. Um aluno chegou a ser ferido e levado para o Hospital municipal Salgado Filho, no Méier.

Segundo a Secretaria municipal de Saúde, o menino sofreu corte superficial nas costas e fraturou o dedo do pé esquerdo. Ele foi atendido e liberado. Policiais do 9°BPM (Rocha Miranda) foram acionados por volta das 19h40. Eles encontraram o garoto, de 16 anos, com facas, uma máscara e uma luva cirúrgica. Apreendido, ele foi levado para a 27ªDP (Vicente de Carvalho).

O Corpo de Bombeiros foi acionado para a ocorrência, mas quando chegou ao local, a vítima já havia sido socorrida. Na delegacia, uma professora contou que pediu para o garoto tirar o casaco que usava. Ele sacou as facas.

Após colocar a máscara, foi em direção a este outro aluno que seria seu desafeto e provocou correria no pátio da unidade de ensino. A Secretaria Municipal de Educação, em nota, disse que um aluno da escola Municipal Irineu Marinho, em Marechal Hermes, “assistia a aula e de repente sacou de duas facas.

Em seguida, pediu que todos saíssem da sala correndo”. Explicou ainda que “um dos alunos, ao fugir, teve uma lesão no pé e foi encaminhado para o hospital municipal Salgado Filho onde recebeu atendimento médico”. A direção da escola e representantes da secretaria prestaram apoio à família.

Transtornos psicológicos

A mãe do jovem apreendido disse na delegacia que o filho sofre de transtornos psicológicos e teria tentado suicídio em dezembro. — Quando nós descobrimos o que estava acontecendo, passamos a cuidar dele. Ele pediu para estudar e conseguimos matriculá-lo nessa escola. Ele estava frequentando as aulas e estava feliz.

Ontem ele não foi à aula, mas não quis me dizer o que aconteceu. Hoje ele estava bem, mas não tenho certeza se tomou o remédio. Quando ele fica sem o remédio, fica agressivo — disse.

Policiais militares que conduziram o adolescente à delegacia relataram que ele fala coisas desconexas. Ele chegou a contar aos militares que recebia ordens por e-mail para ferir o maior número de pessoas. Até o fim da noite desta terça-feira, o menor acusado de agressão permanecia na delegacia.

Fonte: Baixada Viva Notícias




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.