Cantora Roberta Miranda se revolta com Ronaldo Caiado por desmanche do CRER

Roberta Miranda soube através da jornalista Eni Aquino do desmanche no CRER que o Governo Caiado vem fazendo, e se manifestou no Twitter

O desmonte do CRER (Centro de reabilitação e readaptação Dr. Henrique Santillo), uma das maiores referências em todo o Brasil em termos de reabilitação e readaptação, que o Governo Ronaldo Caiado está fazendo é uma vergonha, principalmente para um governador que é medico e que tanto prega defender a vida, como é o caso do governador de Goiás, Ronaldo Caiado.

A repercussão desse desmonte já é nacional. A cantora Roberta Miranda, que há alguns anos assumiu um papel como uma espécie de embaixadora do CRER, soube da triste realidade do CRER através da jornalista do Canal Gama, Eni Aquino que postou em seu perfil no Twitter o desmanche que Ronaldo Caiado vem fazendo. Roberta Miranda reagiu imediatamente com duras críticas ao governo e ao governador de Goiás.

Veja a revolta de Roberta Miranda quando soube que Ronaldo Caiado está fazendo um desmanche no CRER!

Segundo mostrou matéria do jornal O Popular, a situação na OS que administra o CRER é de total terror. Veja!

O atual governo fez um novo contrato com a OS que administra o CRER e neste novo acordo foi reduzido o valor mensal a ser repassado à Organização Social AGIR ao mesmo tempo em que foram dobradas as metas a serem atingidas. Na prática a GERIR terá que dobrar a quantidade de atendimentos por muito menos dinheiro.

O CRER perdeu na última semana pelo menos três especialidades da maior importância para o tratamento de muitas pessoas (musicoterapia, reumatologia e psiquiatra) e os pacientes que eram atendidos pelos profissionais destas áreas estão abandonados pelo estado.

Apenas na reumatologia, que tinha uma única profissional da instituição, havia 72 pacientes atendidos por mês. Na psiquiatria, mais 68 mensalmente. As demissões fariam parte do Plano de Demissão Voluntária (PDV) da Associação Goiana de Integralização e Reabilitação (Agir), a organização social (OS) que gerencia o hospital. Já são 85 adesões de médicos e outros profissionais da saúde ao plano. Os números foram repassados pela OS. Entre os colaboradores, há mais de 30 recepcionistas.

De acordo com profissionais demitidos e também alguns que ainda compõe a equipe do local, o novo contrato firmado entre a OS e a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) prevê diminuição de verba e meta dobrada, o que estaria impossibilitando a continuidade dos serviços. A renovação do contrato da SES com a Agir foi realizada no último mês de abril.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.