Globo e Fernanda Gentil terão que engolir proibição de carinhos gay na Rússia

Em bate-papo com Fátima Bernardes no “Encontro” desta quarta-feira (13), Fernanda Gentil comentou a lei que proíbe carinho, em público, entre homossexuais na Rússia, país-sede da Copa do Mundo – que se inicia amanhã (14). “Eu tô bem menininha”, brincou a jornalista, namorada da também jornalista Priscila Montandon.

Fátima questionou a colega de emissora sobre as recomendações de uma cartilha, emitida pela embaixada do Brasil, para torcedores que viajaram à Rússia para acompanhar o Mundial: “Desde 1993 não é crime o relacionamento com pessoas do mesmo sexo. Mas existe uma outra lei, de 2003, que diz que “você não pode fazer propaganda disso”. No fundo é uma proibição às manifestações de afeto, de carinho”.

É mais ou menos assim: cada casa tem uma regra. Você não chega na casa de uma pessoa e vai se comportar de qualquer maneira”, comentou Fernanda, que prosseguiu, após ler a controversa lei: “Menores de idade não podem ver, em propaganda ou fisicamente mesmo, pessoas do mesmo sexo fazendo carinhos uma na outra. O que eles querem é “proteger” as crianças”.

Por fim, Gentil concluiu: “Como cidadão, a gente obviamente tem o direito de questionar, como várias regras e leis no Brasil a gente faz, mas como cidadão também a gente tem a obrigação de cumprir, a não ser que queira pagar e, nesse caso, há uma pena”, salientou, em referência à multa estipulado em caso de manifestações públicas de carinho entre homossexuais.

Na teoria, há essa restrição de várias questões, mas na prática, durante a Copa principalmente, a gente vai vendo no dia a dia. O importante é chegarmos orientados. Eu, por exemplo, tô aqui bem na atividade, eu tô bem menininha”, concluiu Fernanda Gentil, arrancando risos de Fátima Bernardes, dos convidados e da plateia.

Fonte: RD1




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.