Governo corta R$ 30 bilhões do orçamento de 2019 para atingir meta fiscal

140 projetos de 11 ministérios tiveram cortes de 100% do orçamento previsto para 2019

Governo Bolsonaro não quer cometer os mesmos erros que o Governo Dilma cometeu ao fazer pedaladas e mascarar as contas do país, e assim correr risco de impeachment. Sem poder cortar despesas obrigatórias, como salários, o governo bloqueou todo o orçamento previsto para este ano de 140 projetos espalhados por 11 ministérios. Foram congelados recursos de áreas sensíveis, como a contenção de cheias e inundações, a prevenção do uso de drogas e a assistência à agricultura familiar, entre outras políticas públicas, de acordo com estudo da Associação Contas Abertas, feito a pedido do Estadão/Broadcast.

As tesouradas fazem parte do bloqueio de R$ 30 bilhões do Orçamento da União, anunciado pelo governo em março. Outros programas sofreram perto de 100% de contingenciamento, como a Política Nacional sobre Mudança do Clima, que perdeu 95,5% da verba, e as operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que ficaram sem 81% dos recursos previstos. Além deles, 300 projetos tiveram mais de 40% da verba congelada até agora.

A pasta que mais sofreu foi o Ministério de Minas e Energia. A tesourada foi de 80% e o orçamento passou de R$ 4,7 bilhões para R$ 969 milhões.

Foram suspensas verbas de áreas como a prevenção ao uso de drogas e a assistência à agricultura familiar. O programa de contenção de cheias e inundações, incluso no orçamento do Ministério de Desenvolvimento Regional, também foi contingenciado.

O ministério da Infraestrutura foi 1 dos mais afetados. O orçamento passou de R$ 10,9 bilhões para R$ 6,6 bilhões, 1 bloqueio de 39%. Foram congeladas verbas do apoio ao sistema de drenagem e manejo de águas pluviais em municípios considerados críticos e metade do orçamento destinado para a construção da sede do centro nacional de prevenção e combate aos incêndios florestais.

Outros programas tiveram contingenciamento bem perto de 100%, como é o caso da política nacional sobre mudança do clima (95,5%) e a as operações de Garantia da lei e da Ordem (81%).

Mais tesouradas – Até quarta, o governo deve divulgar previsão de receitas e despesas para este ano. A expectativa é de que novo corte, de mais de R$ 5 bilhões, seja anunciado.

 

Fonte: Estadão e Poder 360

 

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.