Lúcia Vânia diz que desigualdade do ensino básico diminuirá com federalização

A senadora e candidata à reeleição Lúcia Vânia (PSB) tem anunciado nos eventos da campanha da coligação Goiás Avança Mais algumas de suas propostas. Uma delas é passar para o governo federal a responsabilidade da educação básica. No caso, o Ministério da Educação (MEC), segundo a proposta da senadora, anunciada recentemente em grande reunião em Águas Lindas de Goiás, cuidaria do ensino fundamental, e o ensino superior seria transferido para o Ministério de Ciência e Tecnologia. “Vejo como a forma mais viável para melhorar os índices e acabar com a desigualdade”, diz Lúcia Vânia.

Em rankings como o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) e o da Unesco, os estudantes brasileiros apresentam índices de leitura e matemática muito abaixo de países semelhantes ou mais pobres como por exemplo os vizinhos Argentina, Chile, Equador e Bolívia.

A senadora diz que, ao transferir para o governo federal a responsabilidade da estrutura física das escolas em todos os ciclos da educação básica, o governo federal daria um alívio para as prefeituras e estados, que hoje são as responsáveis pela manutenção.

Segundo ela, o dinheiro arrecadado no país fica quase todo com a União e, com o atual modelo do pacto federativo, as responsabilidades, não. Daí a deficiência na educação básica brasileira, que hoje não consegue atingir as metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Educação (PNE).

Em sua justificativa, a senadora Lúcia Vânia explica que é preciso garantir às nossas crianças o acesso e uma educação básica de qualidade, mas os municípios e os estados não têm condição de construir e equipar escolas que ofereçam uma educação com o nível necessário.

“O governo federal precisa ser responsável pela estrutura física das escolas para que estados e municípios possam investir na qualificação e remuneração do corpo docente e em programas que melhorem os índices da educação básica brasileira”, argumenta a senadora Lúcia Vânia.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.