Mosca viciada em orgasmo pode ajudar dependentes químicos

Moscas-da-fruta masculinas gostam mais de orgasmos do que de álcool e pesquisadores israelenses que estudaram o vício dos insetos no prazer esperam usar sua descoberta para controlar a dependência química de humanos. As moscas que tiveram orgasmos evitaram o álcool, ao contrário de um grupo de controle que não foi estimulado, preferindo se reunir no “bairro da luz vermelha” porque “é gostoso” ali, explicou Shir Zer Krispil, que conduziu o estudo.

Cientistas da Universidade Bar-Ilan, localizada perto de Tel Aviv, expuseram as moscas a uma luz vermelha que ativa a proteína corazonina (CRZ) no abdômen, que por sua vez desencadeia a ejaculação.

As moscas que tiveram orgasmos evitaram o álcool, ao contrário de um grupo de controle que não foi estimulado, preferindo se reunir no “bairro da luz vermelha” porque “é gostoso” ali, explicou Shir Zer Krispil, que conduziu o estudo.

Os cientistas, cuja pesquisa foi publicada no periódico científico Current Biology, deduziram que a dependência química em humanos pode ser moderada por outras recompensas –não necessariamente de natureza sexual– que estão disponíveis naturalmente, como interações sociais ou esportes.

“Nas experiências nas quais existe um nível alto de recompensa com recompensas naturais, o álcool como recompensa de um vício não tem valor”, disse Shohat-Ophir.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.