Polícia divulga retrato falado de suspeito na morte da PM Juliane

O retrato falado dos envolvidos no sequestro e na morte da policial militar Juliane dos Santos Duarte em Paraisópolis, na zona sul da cidade de São Paulo, foi divulgado pela polícia nesta terça-feira (14).

Juliane foi morta com um tiro na cabeça e o resultado da perícia feita no carro e a análise de roupas e celulares apreendidos ainda não foi divulgada.

Os retratos falados foram feitos por peritos do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) com base em depoimentos de testemunhas que estavam no bar onde Juliane esteve com uma amiga.

Um deles representaria um dos homens suspeitos de sequestrar e matar a policial e o outro é de Felipe Oliveira da Silva, o Silvinho, que já está preso. Ele foi reconhecido por quatro testemunhas como um dos homens que sequestraram a policial. Em depoimento, Felipe confirmou que aceitou levar a moto para longe de Paraisópolis, mas nega participação no assassinato.

O corpo de Juliane foi encontrado dentro do porta-malas de um carro. Exames indicam que ela morreu na madrugada do dia 6, o que leva a polícia a acreditar que Juliane passou quatro dias refém dos criminosos.

No boletim de ocorrência, uma amiga da policial de 27 anos informou que a PM teria ido à comunidade no último dia 1º para encontrar amigos e, ao ouvir relato de um furto, teria se identificado como PM. Após o ocorrido, Juliane desapareceu e foi encontrada morta dentro do porta-malas de um carro. Exames indicam que ela morreu na madrugada do dia 6, o que leva a polícia a acreditar que Juliane passou quatro dias refém dos criminosos.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.