Polícia prende ex-assessora de Picciani e R$ 1 milhão em material falsificado vendido em bazar

Policiais civis da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) apreenderam, nesta quinta-feira, cerca de R$ 1 milhão em materiais falsificados que seriam vendidos em um bazar na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Entre os produtos recolhidos estão óculos, bolsas, lenços, malas de viagens, relógios e cintos. De acordo com a polícia, o bazar era organizado por Suzana Castiglia, presa durante a ação.

A acusada costumava oferecer o material falsificado nas redes sociais, onde mantinha um perfil comercial para os produtos e ostentava uma vida luxo, com viagens internacionais, passeios de lancha e carros importados. Ela também fazia entregas das mercadorias.

Segundo o delegado Mauricio Demetrio, titular da DRCPIM, Suzana foi nomeada, em 2015, funcionária comissionada da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) pelo então presidente da Casa, Jorge Picciani, com salário de R$ 8,2 mil, conforme o setor de transparência da Alerj. Segundo a assessoria da assembleia informou ao G1, Suzana trabalhou no gabinete de Picciani durante cerca de um ano, entre 6 de maio de 2015 e 2 de maio de 2016. Atualmente Picciani está em prisão domiciliar.

As investigações duraram cerca de dois meses e tiveram início a partir de denúncias de pessoas que compravam as peças com ela. Suzana vai responder por receptação qualificada, pena de três a oito anos de reclusão, crime que ainda será combinado com artigo 190 da Lei de Propriedade Imaterial, que por sua vez tem pena de um a três anos.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.