Servidores da Educação do Estado deflagram greve em assembleia

Os servidores da Educação, mobilizados pelo Sintego, decidiram fazer uma greve no Estado de Goiás, que se inicia nesta quarta-feira, 3. A decisão foi tomada em assembleia realizada na tarde desta segunda, 1º.

Segundo a presidente do sindicato, Bia de Lima, as reivindicações são: O pagamento de dezembro, que ainda não foi pago a 42% da categoria; o pagamento de março, que não foi quitado dentro do mês trabalhado, como prometido; o auxílio alimentação retroativo de fevereiro; e, ainda, o piso do magistério.

As atividades serão paralisadas, portanto, até nova negociação. Além da greve, a categoria realizará uma nova assembleia na segunda-feira, 8.

Seduc

A secretária de Estado da Educação, Fátima Gavioli, na Assembleia Legislativa de Goiás, disse que o pagamento de março da categoria será feito ainda nesta terça-feira, 2.

Sobre o salário de dezembro, ela disse que a Assembleia já aprovou algumas suplementações para pagamentos de salário, porém ela informa que não há “mais nada que possa mandar para transformar em folha. Agora é preciso entrar no escalonamento junto à secretaria de Economia”.

Em entrevista, Gavioli disse que não considera que deflagrar uma greve vá fazer com que entre dinheiro em caixa. “Mas acho que cada um sabe das consequências de seus atos, da minha parte, e o Sintego sabe, aquilo que pode ser feito dentro da legalidade eu tenho tentado fazer, mas, infelizmente, a gente não consegue fazer milagres”, disse.

Em relação ao pagamento do auxílio alimentação retroativo de fevereiro e o piso do magistério, a titular foi categórica: “Não temos dinheiro para isso tudo em 2019”. “Temos que pedir muito a Deus para rompemos este ano cumprindo com nossas obrigações de folha de pagamento, retorno do vale alimentação e as demais coisas, à medida em que foram surgindo recursos financeiros, o governador tem todo prazer em liberar”, disse.

Fonte: Jornal Opção



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.