Vitti rebate oposição e diz que Eliton surpreende positivamente como governador

“José Eliton me surpreendeu positivamente e está incomodando a oposição.” Com estas palavras, o presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti (PSDB) avaliou os primeiros 30 dias do governador José Eliton (PSDB) e rebateu as críticas de deputados da oposição.

Vitti disse que o chefe do Poder Executivo manteve o mesmo ritmo administrativo e político empreendido pelo ex-governador Marconi Perillo (PSDB). “Ações bastante pontuais e que precisavam ser tomadas de maneira corajosa. Assim ele fez. Medidas impactantes na vida da população, principalmente no que tange à Saúde e a Segurança Pública”, sublinhou.

O presidente do Legislativo elogiou ainda o estilo de Eliton em dialogar com forças políticas e segmentos da sociedade. “Acho que ele acertou. Tem se desdobrado e trabalhado acima do normal. Intensificou visitas, trouxe lideranças, trabalhou para mostrar qual é seu estilo e a sua forma de atuação como governador. Ele realmente me surpreendeu de maneira positiva”, enfatizou.

Vitti rebateu críticas de deputados estaduais da oposição, como José Nelto (Podemos), que questionaram os dados do balanço apresentado por Eliton. “Eu nunca vi a oposição elogiar nenhuma ação positiva do governo. Esse é o jogo da política.”

Vitti descartou o argumento da oposição de que o Programa Terceiro Turno na Saúde Pública Estadual tenha cunho eleitoreiro. “A gestão do Eliton está mostrando a sua cara e isso tem incomodado a oposição porque é impactante e vai ter um efeito muito forte para a população.”

As ações administrativas adotadas por Eliton, segundo Vitti, vão refletir positivamente em sua imagem como governador, que é pré-candidato à reeleição. “O papel dele agora realmente é intensificar e trabalhar porque a sua avaliação vai refletir positivamente nas pesquisas de intenções de votos. Acho que ele está absolutamente correto em traçar como objetivo principal nesse início as suas estratégias de governo.”

O presidente da Alego comentou também a decisão de alguns partidos da base governista em refutar a formação de chapas proporcionais com o PSDB para a disputa eleitoral de outubro. “As coisas na hora que estiverem mais definidas, o “chapão” acaba sendo atrativo. Essas definições começam a surgir agora porque muitos pré-candidatos amanhã não serão candidatos”.

Sobre a disputa interna para o Senado, que envolve a senadora Lúcia Vânia (PSB) e o ex-senador Demóstenes Torres (PTB), Vitti que hoje a vantagem é da socialista, mas afirmou que em política nada pode ser decidido com tanta antecedência.

Ele ainda elogiou as qualidades pessoais e políticas dos postulantes à vaga ao Senado e disse que cada um tem que se viabilizar dentro da base de forma a não haver rupturas.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.